Conservação e manejo de fauna no norte do México.

O papel dos fazendeiros e donos de terra na conservação da onça pintada em Sonora, México.

Artigo cientifico interessante sobre uma ação de manejo de fauna e conservação ao mesmo tempo, em terras particulares, e envolve a população sobrevivente de onças pintadas que vive na parte mais ao norte da sua distribuição geográfica. Essa população ocorre na municipalidade de Nácori Chico, Sonora, México, a mais ou menos 270 km da fronteira com os EUA, é a provável fonte dos animais recentemente avistados no estado do Arizona, USA.
Desde 1999, pelo menos 11 onças pintada (Panthera onca) foram mortas ilegalmente nessa área do México devido a conflitos entre fazendeiros e predadores. Os autores iniciaram em 2004 um programa de conservação de onças com base nos fazendeiros e proprietários de terra da região. Os primeiros 8 fazendeiros participantes concordaram em parar a matança de onças pardas (Puma concolor) e pintadas, apenas se as perdas com gado fossem ressarcidas.

Whitetail da região de Sonora, México. Essa subespécie é pequena adaptada as condições áridas da região.

Um organizador de caçadas, entrou no programa, e com a permissão dos proprietários iniciou um programa de caça de veados whitetail (Odocoileus virginianus) em 2004 e concordou em pagar ao grupo de proprietários participantes, U$ 1.500,00 por cada permissão de caça de veado vendida. Os fundos pagos aos proprietários foram suficientes para convencer os fazendeiros a parar de matar as onças. O engajamento dos proprietários de terra no programa de conservação de onças no nordeste de Sonora é uma iniciativa bem sucedida, privada, de conservação de onças pintada e parda, que oferece ao México um exemplo dos esforços de conservação das onças pintadas no norte do México.

O link para o artigo esta aqui:
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20136872

Luis Almeida

Formado em Zootecnia, na UNESP -Jaboticabal, fez cursos de animais silvestres na ESALQ, morou Africa do Sul e Zambia nos anos 90, trabalhou como aprendiz de caçador profissional nesses países, em 2004 se mudou para a Grécia e desde 2013 fica indo e vindo entre Brasil e Grécia, sempre caçando aonde tem oportunidade e pesquisando novos destinos de caça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *