Caçadores contra caçadores?

Frequentemente nas comunidades de caçadores do Facebook, eu vejo caçadores criticando outros caçadores, em geral é por causa de fotos de safáris na Africa ou outros continentes, o engraçado é que todas essas caçadas foram feitas legalmente nos locais aonde ocorreram, mas ainda assim esses caçadores daqui do Brasil criticam, e ainda mais engraçado é que os argumentos usados por esses caçadores são os argumentos que os anti caça usam quando querem falar mal dos caçadores e da caça, e aonde eles acham esses argumentos? Eu acho que é vendo televisão ou lendo algum jornal ou revista, afinal de contas aqui no Brasil não tem caça permitida, nem de troféu nem nada, ah sim tem a caça de subsistência, mas eu nem sei se existe uma licença de verdade ou papel que diz que vc é caçador de subsistência, então a menos que os caçadores tenham ido caçar fora do Brasil, eles não tem experiência com caça regulamentada. A caça foi proibida, no papel, em 1967, um estado, RS, teve ainda uma temporada de caça regulamentada até 2005, quando finalmente os anti caça conseguiram parar a temporada de caça, ja me falaram que no MS e MT houve caça regularizada até 1980, eu não sei nada sobre isso, pode ter sido assim mesmo (quem souber por favor me mandar uma mensagem a respeito), mas e antes de 1967? Havia caça regularizada no Brasil? Havia, mas duvido que houvesse o tipo de controle que existia em outros países. Bom, se havia tão pouca organização na caça, ou pesquisa sobre ela, porque tanta gente fala mal da caça no Brasil? Porque não falam mal da pesca? Hoje em dia existe o tal do pesque e solte, que acontece em alguns rios amazônicos, nesses rios vc não pode tirar os peixes do rio para levar pra casa, como até os anos 80 eu fiz, até que os fiscais da fazenda do estado do MS começaram a parar os pescadores amadores e cobrar ICMS dos peixes, ai parei de trazer peixes pra casa. Nos rios de pesque e solte, em geral se permite aos pescadores comer um dos peixes que se pescou, um por dia por pescador, em geral eles não comem os maiores, comem exemplares menores de 1 a 2 kg, tipo uma porção individual, ou seja uma cota de abate pequena, e que poupa os peixes maiores, jaús, piraras e piraíbas de mais de 20 kg, que são a grande atração desses rios. Bom mas se os pescadores podem comer 1 peixe por dia que estão no rio, em uma semana cada pescador pescou e comeu 7 peixes, de tamanho médio pra pequeno. Isso é feito porque os grandes exemplares de cada espécie são as matrizes, e cada fêmea grande desses peixes produz centenas, até milhares de ovos de peixe, dependendo da espécie, e como não são retirados da agua podem ser “re-pescados”, e o que os pescadores ganham com isso? Além da foto? A oportunidade de experimentar a briga com um monstro do rio, a oportunidade de apreciar um ambiente selvagem, um rio em estado original, ou muito perto disso, a sensação de ver uma floresta virgem, ver bichos selvagens em sua rotina, comendo e se alimentando, até os incômodos insetos são parte dessa experiência no “mato”. Ai alguém fala, mas os caras não mataram, os próprios apresentadores de programas de pesca gostam-se falar “volta pra vida” ou algo assim, quando retornam o peixe a água. Mas e a isca viva? E o peixe que ele comeu ali no barranco que estava delicioso e fresquíssimo? Então algum peixe morre, não é tão diferente da caça assim, e se tentassemos fazer o “caça e solte”? Bom se fosse com linha e anzol, duvido que fosse uma imagem bonita um caçador recolhendo a linha da carretilha e trazendo na ponta do anzol uma paca, arrastada, gritando e pulando, e você retirar o anzol calmamente (tarefa que acho que seria impossível, uma paca não ficaria deitadinha na sua mão enquanto vc retira o anzol dela).

Bom então a pesca acaba matando alguma coisa além do tempo, e os pescadores gostam de ter fotos pra relembrar a pescaria, eu não vejo mal algum nisso, e porque alguns caçadores criticam quem tira foto com o bicho caçado? Muitos desses bichos caçados são tão caros pra se caçar, por causa do preço da licença, da viagem até o continente, da diária da estadia num lugar selvagem, que provavelmente farão aquela caçada apenas uma vez na vida, não podem tirar foto? Bobagem, tem mais é que tirar e fazer video, serão recordações inesquecíveis, assim como o troféu, o bicho empalhado, ai tem gente que fala que o cara só fez aquilo pra se mostrar e tal e coisa, pra mim isso parece mais inveja do que outra coisa, tenho 50 e tantos anos de idade e nunca vi um caçador se achando melhor que os outros porque caçou um bicho de tamanho excepcional, eles ficam felizes e orgulhosos de pegar um animal grande, assim como quem pega uma piraíba gigante fica orgulhoso de recontar a briga com o peixe. O caçador fica orgulhoso de ter podido participar de uma caçada, e ter pego um alce da Sibéria ou um urso do Alaska ou um leão africano. Gosta de recontar a historia da caçada, e mostrar o bicho empalhado, ou as fotos e o video.

Geralmente quem critica essas fotos de caçadores com elefantes, leões e leopardos gosta de falar que os bichos estão acabando, que estão em extinção, que é contra lei, e na verdade eles mesmos estão falando bobagens, e dou um exemplo, recentemente em vários meios de informação, sites de noticias e jornais televisivos, falaram que as girafas estão em extinção e que estão desaparecendo, isso é meia verdade, não é toda a história. As girafas são todas consideradas da mesma espécie, mas com várias subespécies (o equivalente a raças em animais domésticos) distribuídas pelo continente africano, algumas subespécies sempre foram raras, outras estão realmente desaparecendo, mas algumas subespécies estão estáveis e até aumentando, mas os noticiários em geral omitem isso. O que é uma pena, porque se eles fossem contar a história das subespécies de girafa que estão florescendo e aumentando em numero, eles teriam de falar que foi graças a caça e as fazendas de caça, o que pra grande mídia seria um grande paradoxo, como caçar aumenta o numero de animais selvagens?? Ao mesmo tempo essa mesma mídia mostra que a pesca bem regulamentada não prejudica as populações de peixes, seja no mar ou em rios.

O grande problema que nós caçadores temos de enfrentar é a falta de conhecimento, tanto a falta de conhecimento dos caçadores, como a falta de conhecimento da população em geral, e isso serve pra tudo na vida, antes de se criticar alguma coisa, se deve tentar saber mais sobre ela, ninguém sabe tudo, ninguém é perfeito e todo mundo erra, já tem gente demais batendo nos caçadores, não precisamos de caçadores criticando sem saber o que realmente se passa.

Outra critica que geralmente leio por ai é sobre a carne do bicho abatido, mesmo nos lugares mais remotos e selvagens, a carne não é desperdiçada, na Africa sempre se leva carne a vilarejos e aldeias perto das áreas de caça, os empregados da companhia de safari também consomem a caça e até mandam pra suas famílias. Lugares mais frios e menos populosos como Mongolia, Sibéria, Alaska Groelandia, também a carne não é desperdiçada, inclusive em vários lugares aonde foi permitida a caça de ursos polares, ela foi feita por meio das populações de inuits, conhecidos antigamente como esquimós, os inuits tinham permissão de caça de subsistência, e poderiam vender a pele como forma de fonte de renda, hoje muitas dessas tribos vendem o “abate” (caça) e a pele para um caçador que paga uns 10 mil dólares para a tribo, leva a pele, e os inuits ficam com a carne e o dinheiro, que geralmente vai para um fundo tribal, como no caso do projeto campfire, que descrevi aqui a algumas semanas. O caçador do urso polar leva a pele, as fotos e tem uma experiência fantástica ao acompanhar os inuits numa caçada de urso polar. Aqui um link de uma dessas caçadas de urso polar. http://www.canadanorthoutfitting.com/arctic-expeditions/polar-bear/

Outra coisa que ninguém presta atenção, é que a caça faz algo importantíssimo, dá valor a vegetação natural, o “mato”. Ao ter valor, o mato não é derrubado para que se plante alguma cultura, como milho, soja e algodão; ou que se retire a vegetação para se criar gado, que tem sido o grande vilão dos ambientalistas nos últimos anos. Uma área de caça mantém a vegetação intacta, protegendo varias espécies animais, de plantas a microorganismos que ninguém nunca menciona, porque não são animais “fofos” ou majestosos, ninguém se mobilizaria pra salvar da extinção um tipo de barata d’agua, ou um roedor raro, mas que se parece com uma ratazana. Os ambientalistas gostam de utilizar espécies animais “carismáticas” para chamar a atenção para algumas causas e mobilizar a opinião publica, e em casos assim eles mantêm a mensagem simples, mesmo que não totalmente correta como no caso das girafas. Uma área de caça é muito útil para a conservação da fauna, porque uma área de caça não precisa ser visualmente bonita, para os padrões de pessoas da cidade, nem precisa de ter milhões de bichos pra se ver, e outra coisa é que uma área de caça nunca terá milhares de turistas pra cá e pra lá perturbando a fauna e fazendo poeira nas estradas da região. Ou seja uma área de caça é como um parque nacional, que ao invés de ter engarrafamentos e lixo trazido pelos turistas, terá apenas a visita de algumas dezenas de pessoas durante o ano. Nas fotos abaixo você vê a diferença de uma aérea de turismo e outra de caça, em qual você preferiria estar?

Turistas observando a migração anual de gnus e zebras no rio Mara, Masai Mara National Reserve, Kenya
Área de caça na Namibia.

E finalizando, caçadores não precisam de outros caçadores criticando e condenando suas ações, já tá cheio de gente que faz isso, e quem tiver duvidas e quiser saber mais terei prazer em responder as perguntas que vocês tiverem sobre a caça pelo mundo afora, e o que eu não souber, eu tento achar a resposta.

Luís Almeida

Luis Almeida

Formado em Zootecnia, na UNESP -Jaboticabal, fez cursos de animais silvestres na ESALQ, morou Africa do Sul e Zambia nos anos 90, trabalhou como aprendiz de caçador profissional nesses países, em 2004 se mudou para a Grécia e desde 2013 fica indo e vindo entre Brasil e Grécia, sempre caçando aonde tem oportunidade e pesquisando novos destinos de caça.

4 comentários em “Caçadores contra caçadores?

  • 27 de maio de 2017 a 23:22
    Permalink

    Belo artigo ..parabéns Luis …texto claro e ”limpido”…só não vai entender se não quiser mesmo …grande abraço.

    Responder
  • 27 de maio de 2017 a 23:28
    Permalink

    Excelente texto, parabéns!

    Responder
  • 29 de maio de 2017 a 17:59
    Permalink

    Disse tudo aquilo que é a mais pura realidade dos dias de hoje.Antigamente era normal,hoje existe o que é considerado politicamente incorreto e atras disso vem uma porrada de coisas sem o menor nexo.Meus parabens!

    Responder
  • 29 de maio de 2017 a 18:35
    Permalink

    Aí eu pergunto!
    Porque até hoje os veganos não fizeram uma ponte pros gnus?
    😂😂😂😂😂😂😂

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *